Posts com Tag ‘Nostalgia’

Pensando Alto #5 - Um punhado de papéis e um amontoado de historias

 

Hoje por algumas horas passei por uma seção de nostalgia, encontrei em uma das minhas pastas que ficam postas no livreiro do meu quarto um punhado de papeis com letras garranchadas, escritas em preto, azul, vermelho e lápis de lição e também com cores florescentes, riscos, traços, flechas, palavras e mais palavras, páginas e números em inúmeros papeis misturados, dentre eles alguns eram também “formais”, estavam impressos e eram oriundos de um documento do Microsoft Word alinhado, justificado e formatado. Porém tudo isso estava sem ordem “cronológica” sem uma sucessão continua e ordenada dos dias em que foram escritos, sem as horas os minutos e os segundos eram apenas dados, informações, instruções, esboços e pensamentos onde alguns foram revelados, outros guardados e outros esquecidos e que nunca serão lidos, mas em contraste existe aqueles textos que foram explicados, comentados, publicados e até declarados em alta voz perante várias pessoas e algumas dessas palavras ecoaram por lugares e fizeram levantar, fizeram chorar, fizeram sorrir, fizeram persistir e fizeram acreditar, fizeram pessoas fazerem coisas boas, ao próximo e a si também.  (mais…)

 

Hoje não quero apresentar um pregador a vocês e sim mostrar uma mensagem que há um pouco mais de 3 anos atrás eu ouvia muito, e a ouvia e sentia uma paz imensurável em um tempo de plena adversidade, essa mensagem têm um certo “gosto” de nostalgia devido a sua importância nesse tempo. Eu escrevi a baixo o finalzinho da mensagem, mas espero que vocês ouçam tudo pra compreenderem melhor e tirarem algo proveitoso para vida de vocês…

 

“[…] A vida inteira ele vai ter que aprender a em cada estação da vida dele dizer de novo; “nesta nova estação o Senhor é o meu Pastor. O problema sempre sou eu, o Pastor não muda eu é que mudo, eu é que desconfio, eu é que não me entrego, eu é que não bebo, eu é que escolho o caminho, eu é que subverto a vereda, eu é que me auto engano, eu é que me assusto com os inimigos ao invés de beber o vinho, eu é que entro em panico com a síndrome do panico das sombras do vale da morte e não vejo que ele esta comigo, os cenários vão mudar, só quem  não vai mudar é o Pastor, vai mudar muitas vezes o cenário e pode ser que chegue o momento que você olha pra trás e diga; puxa é por isso que a gente conta com  graça as nossas desgraças de muito tempo a trás.”