Arquivo de agosto, 2015

Devaneios de um marginal

Certa feita ele parou por um instante e relembrou de sua história. Foi do início ao momento presente, reparando nas semelhanças encontradas em alguns momentos específicos.

Lembrou que um dia ele tinha vivido na margem da escuridão e com muitas lágrimas nos olhos foi levado por Deus a uma vida na luz. Sua primeira margem tinha sido rompida.

Com o tempo ele se percebeu novamente as margens, agora não mais das trevas, mas a margem da religiosidade, com os ombros caídos e as forças esvanecidas devido ao peso do fardo que lhe puseram teve que romper essa margem para que não sucumbisse diante o peso da hipocrisia que queria lhe matar.

Mais adiante num futuro presente, encontrou-se novamente a margem, angustiado e com a alma abatida, se percebeu distanciando-se do meio que outrora lhe alegrava, pois viu que uma praga havia chegado em sua vida, e essa praga atendia pelo nome de pragmatismo teológico. Com mãos e pés atados, não se submeteu ao sistema e se arrastou até o ponto mais longínquo que conseguiu encontrar, porém agora o que será dele? (mais…)